Skip to main content

Texto gentil de Gioconda Belli para dias de desilusões com o mundo

Quero uma greve onde estejamos todos.
Uma greve de braços, de pernas, de cabelos.

Uma greve nascendo em cada corpo.

Quero uma greve
De operários de pombas
De motoristas de flores
De técnicos de crianças
De médicos de mulheres

Quero uma greve grande,
Que até o amor alcance.

Uma greve onde tudo se detenha,
O relógio as fábricas
O seminário os colégios
O ônibus os hospitais
A estrada os portos.

Uma greve de olhos, de mão e de beijos.
Uma greve onde respirar não seja permitido,
Uma greve onde nasça o silêncio para ouvir os passos do tirano que se vai.

– Gioconda Belli

Deixe o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: