Não vou te pedir nada. Frida Kahlo

By Dezembro 20, 2017PINTURA, POESIA

Não vou te pedir nada. Frida Kahlo

Eu não vou te pedir que me dê um beijo. Nem que peças perdão quando acredito que o que você fez foi mau ou que tenha se equivocado.  Tão pouco vou te pedir que me abraces quando isso seja o que mais necessito, ou que me convide a jantar no dia do nosso aniversário.

Não vou te pedir que venhamos a recorrer o mundo, a viver novas experiências, e muito menos vou te pedir que me dê a mão quando estejamos na metade dessa cidade.

Não vou te pedir que me digas o quão bonita estou, ainda que seja mentira, nem que me escrevas nada belo. Tão pouco vou te pedir que me chames para contar como foi o seu dia, nem que me diga que sente a minha falta.

Não vou te pedir que me agradeças por tudo que faço por ti, e que se preocupes comigo quando os meus ânimos estão no chão, e claro, não pedirei que me apoie em minhas decisões. Tão pouco vou pedir que me escutes quando tenho mil histórias para lhe contar.
Não vou pedir que me faças nada, nem sequer que fique ao meu lado para sempre. Por que se tenho que lhe pedir, já não o quero!

Frida Kahlo

 

Você pode gostar também de “FRIDA KAHLO E CHAVELA VARGAS, AMOR INTELECTUAL”

 

Texto original:

No voy a pedirte nada – Frida Kahlo

No te voy a pedir que me des un beso. Ni que me pidas perdón cuando creo que lo has hecho mal o que te has equivocado. Tampoco voy a pedirte que me abraces cuando más lo necesito, o que me invites a cenar el día de nuestro aniversario.

No te voy a pedir que nos vayamos a recorrer el mundo, a vivir nuevas experiencias, y mucho menos te voy a pedir que me des la mano cuando estemos en mitad de esa ciudad.

No te voy a pedir que me digas lo guapa que voy, aunque sea mentira, ni que me escribas nada bonito. Tampoco te voy a pedir que me llames para contarme qué tal fue en el día, ni que me digas que me echas de menos.

No te voy a pedir que me des las gracias por todo lo que hago por ti, mi que te preocupes por mi cuando mis ánimos están por los suelos, y por supuesto, no te pediré que me apoyes en mis decisiones. Tampoco te voy a pedir que me escuches cuando tengo mil historias que contarte. No te voy a pedir que hagas nada, ni siquiera que te quedes a mi lado para siempre.

Porque si tengo que pedírtelo, ya no lo quiero.