A cultura heterossexual masculina é homoafetiva, segundo a filosofa Marilyn Frye,

A filosofa e estadunidense Marilyn Frye, pesquisadora nos âmbitos sexismo, racismo, opressão e sexualidade, abordou em seu livro  “Políticas da Realidade: Ensaios sobre Teoria Feminista”de 1983, a questão de, a cultura heterossexual masculina ser homoafetiva. Veja o recorte abaixo:

Dizer que um homem é heterossexual implica somente que ele mantém relações sexuais exclusivamente com o sexo oposto, ou seja, mulheres. Tudo ou quase tudo que é próprio do amor, a maioria dos homens héteros reservam exclusivamente para outros homens. As pessoas que eles admira; respeitam; adoram e veneram; honram; quem eles imitam; idolatram e com quem criam vínculos mais profundos; a quem estão dispostos a ensinar e com quem estão dispostos a aprender; aqueles cujo respeito, admiração, reconhecimento, honra, reverência e amor eles desejam; estes são, em sua maioria esmagadora, outros homens. Em suas relações com mulheres o que é visto como respeito é gentileza, generosidade ou paternalismo; o que é visto como honra é a colocação da mulher em uma redoma. Das mulheres eles querem devoção, servitude e sexo. A cultura heterossexual masculina é homoafetiva, ela cultiva o amor pelos homens